Coordenação: Maria de Lourdes Sirgado Ganho e Samuel Dimas
Área: Os Fundamentos Ontológicos da Experiência Humana


O Projeto «A Estética no Pensamento Português» tem como objetivo proceder a um trabalho sistemático de identificação, levantamento e análise crítica da obra dos autores que em Portugal desenvolveram uma teoria da arte e uma reflexão sobre estética filosófica.

Este projeto pretende contribuir para preencher uma lacuna relativa à necessidade de se fazer uma História da Estética em Portugal. Para tal pretende-se investigar a obra de autores portugueses do Renascimento à Contemporaneidade, em cuja reflexão se manifesta uma procura de compreensão da realidade, que não se restringe ao plano da inteligibilidade intelectual e racional (verum), nem ao plano da vontade e responsabilidade ética (bonum), mas que inclui também o plano do sentimento de beleza (pulchrum), manifesto, quer na criação artística, quer na reflexão estética.

Consiste, numa primeira fase, no levantamento das fontes existentes em fundos públicos e privados, das obras e dos autores que, em Portugal, desenvolveram uma teoria da arte e uma reflexão estética, dando particular atenção à estética filosófica. Numa segunda fase proceder-se-á à distribuição das obras e dos autores mais significativos pelos membros da equipa de investigação, com o objetivo de se proceder ao seu estudo e análise crítica, enquadrando os autores nas correntes artísticas ou nas tendências filosóficas da época em que se situam; procurar-se-á realçar a prevalência de algumas categorias estéticas, bem como estabelecer filiações, linhas de continuidade e de rutura. Na terceira e última fase, proceder-se-á à preparação de um estudo monográfico com os resultados da investigação e à edição comentada de alguns dos textos mais significativos que foram objeto de estudo.

Nesse sentido, reconhecendo que o âmbito da Estética não tem limites precisos, encerrando uma multiplicidade de problemas, uma notável riqueza de relações e um abundante diálogo com áreas tão distintas como a ontologia, a história da arte ou psicologia experimental, a investigação tem como ponto de partida o modo específico de abordagem filosófica dos fenómenos artísticos. A reflexão a desenvolver atenderá a domínios como a «vivência ou experiência estética», «a atividade e produção artística», «a metafísica da beleza», «o juízo do gosto», «a relação entre o belo natural e o belo artístico».

Reconhecendo a variedade de escolas e teorias que ao longo da História se têm apresentado sobre o objeto da Estética, este estudo crítico centrar-se-á em três áreas fundamentais, que, apesar da vincada distinção feita por autores como Konrad Fiedler, Max Dessoir ou Etienne Gilson, consideramos como domínios relacionados:

a) o domínio estrito da estética, como disciplina do curriculum filosófico, que implica uma análise de temas como a natureza do conhecimento sensível, a distinção entre o que, neste, é do plano cognitivo e o que é do plano emotivo, a génese da consciência de imagem e das suas modalidades, a relação entre a imaginação e a perceção;

b) o domínio mais geral da teoria e da Filosofia da Arte, que engloba uma reflexão sobre a relação entre a arte e outras formas de atividade humana e sobre o lugar da arte no plano mais geral da cultura;

c) o domínio do estudo das obras de artistas, pintores e poetas que refletiram esteticamente, ou cujas obras podem ser consideradas como realização de um programa estético, considerando a obra de arte, não apenas na relação com quem a contempla, mas também na relação com o autor que a produz.